sábado, 31 de outubro de 2009



Hoje é o dia da reforma protestante, há exatamente 492 anos Martinho Lutero afixou 95 teses na porta do castelo de Wittenberg, na Alemanha.

Outros grandes nomes podem ser citados como Felipe Melanchton e João Calvino, pois arriscaram suas vidas em prol de um evangelho sem dogmas; um evangelho mais próximo de ser realmente um canal de boas novas da salvação.
O que aconteceu no século XVI foi o começo de algo maravilhoso, o povo cristão foi despertado para doutrinas indiscutíveis e códigos infalíveis de conduta. Que hoje este dia seja um memorial de que a reforma é perene e devemos buscar a excelência até que o Senhor venha e a excelência chegue a nós.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

O que é a igreja? Vidas com propósitos.





UMA VIDA COM PROPÓSITOS
Este movimento que instrui a pessoas e igrejas viverem com propósitos se iniciou nos EUA, mas tem se popularizado grandemente em nosso pais e devido a grande aceitação podemos dizer que veio para ficar. Mas você sabe o que é uma igreja com propósitos?

Nós não vamos abordar princípios muito profundos sobre esta visão pelo fato de que não queremos tornar esta matéria muito extensa e também por eu não ser nenhum especialista no assunto. Se você quiser saber mais sobre ter uma vida com propósitos leia o livro de RICK WARREN, UMA VIDA COM PROPÓSITOS. 





Também pode conhecer melhor este projeto no site http://www.propositos.com.br/site_2009

Este sistema baseia-se em cinco propósitos:

Adoração: Amará o Senhor de todo o teu coração.
Ministério: Amará a teu próximo como a ti mesmo.
Evangelismo: Ide, fazei discípulos.
Comunhão: Batizando-os.
Discipulado: Ensinando-os a obedecer.


Estes princípios foram deixados por Cristo e se uma igreja não segue os princípios deixados por Ele não há com ser saudável.

Quando vemos uma igreja, participante ou não do sistema de “igreja com propósitos”, adorando a Deus, amando e zelando do próximo, evangelizando, batizando e discipulando, com certeza estaremos vendo uma igreja próspera. Uma igreja que cresce numericamente, financeiramente e principalmente em qualidade.

As igrejas que eu tenho visto que usam este sistema realmente tiveram um grande crescimento com resultados expressivos.

Mas é importante saber que nem é uma fórmula milagrosa e nem é algo conflitante com as doutrinas bíblicas.

Recentemente vi o testemunho de um jovem pastor que foi enviado ao campo missionário para dirigir uma pequena igreja e estava preocupado com seu despreparo, na busca por uma forma saudável de trazer o crescimento para sua igreja ele encontrou o livro de Rick Warren e viu nele uma saída, assim se preparou para aplicar este sistema nesta igreja e teve resultados excelentes.

Portanto, seja qual for a “linha” que será seguida o mais importante é entender que o maior e melhor sistema de conduta de uma igreja está em ATOS 2.42-47:


“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações; em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos.
 
Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo
 em comum. 
Vendiam
 as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos à medida que alguém tinha necessidade. 
Diariamente perseveraram unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo.
 
Enquanto isso, ACRESCENTAVA-LHES O SENHOR, DIA A DIA, OS QUE IAM SENDO SALVOS.”



É confiando nesse exemplo imutável que devemos nos basear seja qual for o sistema que usarmos em mossas igrejas, pois qualquer ferramenta que não seja fora dos princípios doutrinários é válida e muito nos ajuda, porém somente agindo como a igreja de Atos que qualquer sistema poderá alcançar resultados realmente relevantes para o REINO DE DEUS.

Mas tente, inove, faça algo, NÃO FIQUE PARADO!!!! 

Como meu pastor disse hoje enquanto pregava, nos não podemos ficar parados, devemos tomar uma atitude, é melhor errar tentando do que ficar parado para não errar.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Partida... A dor que não passa.


ESTOU SAINDO DO FOCO DESTE BLOG PARA HOMENAGEAR MAIS DO QUE MERECIDAMENTE A ALGUEM MUITO ESPECIAL




Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.

Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.

Mateus 11:27-30

Acho essa passagem muito interessante, uma vez eu estava em uma situação desesperadora, com uma dor muito grande no coração e pedi a Deus para que tirasse aquela dor de mim, e confesso que fiquei chateado porque a dor não ia embora. Minha chateação era muito grande porque aquela dor não era fruto de um erro meu mas de uma “fatalidade”.

Foi nessa hora que Deus usou uma prima minha que me disse:

- Ivar, existem dores que nunca vão passar, porém devemos pedir a Deus que nos ajude a suportá-las e aprender a seguir em frente.

Ela não sabe, mas nesse momento eu me lembrei desta passagem que está acima e entendi porque Jesus não disse que levaria ele mesmo nosso jugo e carregaria nosso fardo. Entendo que realmente há dores que não irão embora nunca, mas Jesus as torna como jugo suave e o fardo leve.

Se o ser humano é fruto do meio em que vive e as coisas que estão a nossa volta nos afetam, há pessoas que nos influenciam e ao longo da vida ajudam a formar nosso caráter, bem como nos fazem sofre ou amenizam nossa dor.

Em minha vida muitas pessoas me influenciaram de forma má, pode-se dizer que já fiz parte da roda dos escarnecedores, e já sofri muito assim como já fiz muitas pessoas sofrerem. Com o passar do tempo causei feridas profundas em mim e em muitas pessoas, sejam elas próximas ou não, e o pior é que mesmo reconhecendo os erros e lutando para corrigi-los as vezes voltamos a cometê-los e abrir feridas antigas, porém tudo vai depender do real arrependimento que há em nós para que possamos mais uma vez bater a poeira, pedir perdão, se perdoar e seguir em frente. Desta vez com uma cicatriz a mais.

É claro que as cicatrizes ficam, sejam elas em nossa alma ou até mesmo na forma como as pessoas olham para nós e nos tratam. Quem nunca se sentiu mal por trair a confiança de alguém e nunca mais consegui recuperá-la? Quando somos alvos de olhares desconfiados nos sentimos muito mal, pior ainda se os olhos que nos fitam são olhos de quem amamos.

Mas eu tenho que dizer, em minha vida o poder transformador de Deus foi a chave que mudou meu ser, me fazendo ser alguém que eu nunca pensei que poderia ser, tão diferente de quem eu imaginava e tão além da felicidade e realização que eu mereço.

Dentre as possibilidaes em que a dor causada não vai embora está o falecimento de um ente querido, e foi nessa situação que eu me encontrei naquela situação desesperadora que citei no começo desta matéria. Um tio meu que era muito querido por mim foi tirado do convívio de nossa família brutalmente.

Ele era uma das pessoas que influenciaram minha formação, lógico para o bem. Cresci vendo ele como uma pessoa que radiava alegria, respeitava muito os pais e lutava incansavelmente pela sua família. Suas intolerâncias com erros que existem na ‘instituição humana da igreja” o faziam um crente não convencional, mas mesmo assim era um árduo defensor do evangelho.

Me lembro de uma vez em que mesmo afastado da igreja ele ouviu uma pessoa falando mau do evangelho e instantaneamente reagiu entrando em uma árdua discussão, entre seus argumentos ele citou sua mãe (minha avó) como um exemplo de cristão, mostrando mais uma vez suas crenças, convicções e respeito.

Com grande esforço, trabalho duro e talento após muitos anos conseguiu dar conforto a sua família sem deixar de ser a pessoa humilde, trabalhadora e integra que sempre foi.

Não rejeitava um trabalho braçal de forma nenhuma, pelo contrário, não desperdiçava a chance de mostrar seu grande talento e inteligência.

Foi um espelho para mim, na minha caminhada quando tinha alguma dificuldade em executar algo sempre pensava em como meu irmão mais velho ou meu tio agiria.

Mas essa pessoa que era admirada e querida por todos na família foi tirada de nós, arrancada...

A dor era muita, mesmo estando a distancia, fiquei sem rumo, parecia que não teria forças.

Eu agia como se estivesse tudo bem mas estava destruído, mesmo com o tempo passando não tinha mais a mesma garra pára lutar e superar as dificuldades do dia a dia. Foi nesse momento que Deus me fez entender esta passagem de Mateus 11: 27-30 e eu percebi que minha família e tudo mais que ele me deu me ajudariam a suportar esta dor.

Quando Deus me fez um homem feliz que tem uma companheira maravilhosa e dois filhos que juntos me completam ele estava me dando força para suportar qualquer obstáculo e seguir mesmo com uma dor que não tem fim.

Entendi que com o amor, a alegria e garra que meu tio viveu eu deveria viver também e honrar seu legado.

Nesse momento outras verdades se revelam, pois no final das contas, é o amor que nos ajuda.

Veja bem, por amor Deus deu seu único filho, por amor nós superamos os problemas, pelo amor nós somos felizes e o maior dos Dons é o amor.

O amor que sentimos por Deus, pela nossa família e amigos juntos com sua reciprocidade nos ajudam a superar qualquer coisa, fazendo o nosso jugo suave e o nosso fardo leve.

Ofereço ao meu “Tio Quinha” (in memorian)

Sua nau partiu, mas deixou seu tesouro neste porto e sua semente plantada nesta terra. Regá-las-emos todos os dias e veremos os frutos de teu amor germinando e trazendo toda a alegria que representava, transformando nossas lágrimas em sorrisos e pintando com guache colorido em cima desta foto em preto e branco que foi sua partida.

Ivar Alves de Queiroz

quarta-feira, 22 de julho de 2009

RFID, você usaria um?

DEFINIÇÃO:

RFID é um acrónimo do nome (Radio-Frequency IDentification) em inglês que, em português, significa Identificação por Rádio Frequência. Trata-se de um método de identificação automática através de sinais de rádio, recuperando e armazenando dados remotamente através de dispositivos chamados de tags RFID.
Uma tag ou etiqueta RFID é um transponder, pequeno objeto que pode ser colocado em uma pessoa, animal, equipamento, embalagem ou produto, dentre outros. Ele contém chips de silício e antenas que lhe permite responder aos sinais de rádio enviados por uma base transmissora. Além das tags passivas, que respondem ao sinal enviado pela base transmissora, existem ainda as tags semi-passivas e as ativas, dotadas de bateria, que lhes permite enviar o próprio sinal. São bém mais caras que as tags passivas.

EXEMPLO:

Vamos imaginar um médico que acompanhe mais de 200 pacientes cardíacos, alguns esperando por um transplante e a maioria tem que controlar sua pressão arterial constantemente. Poderia ser colocado um chip (RFID) em cada um e uma única enfermeira monitoraria os batimentos cardíacos, pressão arterial, temperatura corporal e o que mais fosse necessário na tela de um computador. Ou um servidor monitoraria constantemente os pacientes, acionando o médico por bip ou celular quando houvesse algo errado.

Imagine também um grupo de guardas florestais entrando em uma mata fechada. Como saber onde eles estão, se estão bem, ou até mesmo vivos?
Um GPS poderia localizá-los, mas não diria informações necessárias para saber se eles estão bem, além de que se a pessoa sofrer um acidente o GPS pode ser danificado, entrar em curto etc.
A solução seria usar um microchip RFID implantado sob a pele.

REPERCUSSÃO:

Lendo algumas matérias e alguns posts em blogs(na maioria evangélicos) pude ver que mesmo no meio das igrejas o RFID não tem sido tachado diretamente como o sinal da besta, porém todos as referências feitas por cristãos tocam neste assunto sem tomar partido ou uma posição radical.

É importante perceber que no meio secular essa tecnologia ou qualquer coisa parecida é tido como uma evolução inevitável, os filmes já estão mostrando tecnologias similares há muito tempo e cada vez mais a população está aceitando isso como algo normal. Em um mundo democrático não é difícil que algo aceito (ou desejado) pela maioria se torne obrigatório por algum motivo. Talvez pela segurança, saúde etc.

Em 2004 um escritório de uma firma mexicana implantou 18 chips em alguns de seus funcionários para controlar o acesso a sala de banco de dados.

A Applied Digital Solutions anunciou o VeriPay, chip com o mesmo propósito do Speedpass, com a diferença de que ele é implantado sob a pele. Nesse caso, quando alguém for a um caixa eletrônico só fornecerá sua senha bancária e um receptor verificará os sinais de RD que transmitem os dados de seu cartão de crédito.



A Hitachi anunciou o que pode ser considerado o menor chip de RFID, a novidade é um pequeno quadrado com lados que medem 0.05mm 64 vezes menor do que o ponto escuro visto no dedo na imagem ao lado. Para se ter uma noção do tamanho, a imagem ao lado de um dedo é de vários chips perto de um fio de cabelo





E se este chip passasse a ser obrigatório, como reagiríamos?

Um chip deste poderia ser implantado sem cirurgia ou cortes, não haveria como dar a desculpa de não querer ser operado ou coisa do tipo.

Sinceramente, não tenho opinião formada sobre isso, porém sei que de forma nenhuma consigo me imaginar implantando um chip com RFID em meu corpo ou vendo ser instalado em meus filhos.

Temos que simplesmente estar preparados, estima-se que ainda nossa geração verá a popularização deste tipo de chip da mesma forma que é o celular hoje em dia, sendo assim não é difícil acreditar que nossos filhos poderão ser obrigados a usá-los.

Deixe sua opinião, participe.

Deus nos abençoe.

domingo, 19 de julho de 2009

HERÓIS

E estes foram os chefes dos poderosos que Davi tinha, e que o apoiaram fortemente no seu reino, com todo o Israel, para o fazerem rei, conforme a palavra do SENHOR, no tocante a Israel. (I Crônicas 11;10).





As vezes quando passo por momentos difíceis e meu ânimo começa a esmorecer, eu me lembro dos valentes de Davi e de seus feitos, eles eram como heróis em seu tempo e ainda são heróis hoje, principalmente para mim.

Porém, alguns anos antes o povo de Deus esteve em uma situação muito difícil onde todo o exército estava sendo desafiado por um só homem do exercito dos filisteus, a tão conhecida história de “Davi e Golias” ( I Samuel 17:08,11). No final do verso que se encontra em I Samuel 17:11 esta escrito que Saul e todo Israel espantaram-se muito e temeram.
Qual seria a explicação para isto?

Porque um povo com tantas vitórias em sua história agora não tinha nem mesmo um herói em seu exército para que pelejasse contra esse filisteu e o vencesse?

Eu acho uma explicação lógica, como diria meu pai:

Ovelha gera ovelha e lobo gera lobo.

Saul era alto, forte e vistoso, porém nessa passagem vemos que não era nenhum herói e por isso também não gerou heróis, já com Davi a coisa
foi bem diferente.

Davi se levantou contra Golias e o derrotou com a Graça de Deus, foi um verdadeiro herói que fez esta e tantas outras façanhas, tão logo seu heroísmo deu frutos, algum tempo depois quando já era Rei muitos valentes como ele surgiram, como esta escrito no capítulo 17 de I Crônicas.

Vamos tentar imaginar essas mudanças acontecendo no povo de Israel.

Antes que Golias aparecesse, os jovens guerreiros e crianças de Israel ouviam histórias de homens que lutaram bravamente e defenderam o povo de Deus como Josué e Calebe, porém não havia mais em quem eles pudessem se espelhar, não haviam heróis para que as crianças interpretassem enquanto brincassem, tão pouco valentes para que almejassem ser iguais e nem mesmo poderosos guerreiros para ensinar os mais novos a guerrear.

Talvez as crianças crescessem querendo ser bonitas como Saul, mas era só isso.

Agora depois que um gigante se levanta contra todo o povo fazendo que todos temessem é derrotado por um jovem pastor de ovelhas, todo o povo ganha um herói para se espelharem. Devia ser comum ver as crianças agora brincando com fundas e dizendo:

-Eu sou Davi, o herói que derrotou o gingante e cortou sua cabeça.

Ou talvez crianças orando ao Senhor e dizendo:

-Senhor, faça-me tão forte quanto Davi.

Posso até imagina aquela pergunta clichê:

-O que você quer ser quando crescer?
-Eu quero ser um herói igual a Davi.

Com estas e outras façanhas que Davi fez não era de se espantar que uma geração depois o povo de Israel se enchesse de Valentes heróis rapidamente.

É então que levo meus pensamento para os dia de hoje e penso nos meus filhos que ainda são muito pequenos, mas logo me vem a pergunta. Quem serão os heróis de meus filhos? Quem eles vão interpretar em suas brincadeiras? Igual a quem eles irão querer ser?

A dupla de sexualidade duvidosa, Batman e Robim?
O “ET” que caiu do Céu, Superman?
O garoto que tem um demônio selado em seu corpo, Naruto.?
Ou será Ben10 que possui um Bracelete que o transforma em seres misteriosos que não se sabe a origem?

Até mesmo um desenho que se tem por inocente como pica-pau já teve 26 crimes catalogados em seus hábitos corriqueiros, dentre eles estão agressão, tentativa de assassinato e omissão de socorro.

Precisamos fazer algo rápido ou nossas crianças não terão heróis para se espelharem. Estamos iguais ao povo de Israel que ao sair do Egito levaram os ossos de José, mas eu os pergunto, se eles ficaram quatrocentos anos guardando a ossos de José, o respeitando, contando sua história de geração em geração, porque eles nunca quiseram ser iguais a José e libertaram o povo da escravidão?

Será que estamos somente guardando os ossos de José?

Eu prefiro ser José, Moisés, Josué, Gideão e tantos outros do que simplesmente guardar seus ossos em meu coração e permanecer na escravidão.

Precisamos ter uma contra-partida a oferecer à nossas crianças para que eles não se ludibriem com os heróis que Satanás oferece.

Quando era criança ficava fascinado com as histórias que eram contadas na escola dominical usando flanelógrafos e fantoches, porém é preciso evoluir, a adolescência chegou e não ouve nenhum material evangélico que realmente acompanhasse a mudança de interesses e gostos que ocorrem do desenvolvimento da infância/adolescência/juventude/vida adulta.

Estou criando este artigo por estar iniciando um projeto audacioso para criar materiais que atendam essa necessidade, junto com um grande amigo espero fazer algo mais para o Reino de Deus e pelos nossos filhos que estão crescendo e necessitam de ocupar seu tempo, exercitar sua imaginação e crescerem moldando seu caráter sem ser obrigados a assistir 20 crimes por hora como é feito hoje nos horários de exibição de desenhos animados.

A Bíblia é cheia de personagens, cenários e histórias que podem ser usados para criarmos uma atmosfera que atraia, ocupe e edifique nossos jovens.

Peço que orem e se quiserem enviem idéias pois toda ajuda será bem vinda.

QUE DEUS NOS ABENÇOE.