terça-feira, 31 de maio de 2011

Recapitulando o blog

Já tem um tempo que não “posto”  nada de interessante aqui, nenhum post que realmente traz temas conforme o que o ideal deste sonho sugere, mas estou retomando o projeto e mesmo que não seja na intensidade e quantidade que eu quero, vou fazer de tudo para postar mais coisas e estou cheio de idéias e temas para trazer, uma delas é a postagem de um vídeo para cada tema das matérias aqui.
Vamos recapitular. O que é o “Cyber Cruz”?

Cyber Cruz é um sonho que nasceu em 16 de Outubro de 2008, um amigo falou sobre uma monografia que estava escrevendo sobre as diferenças entre a igreja de atos e a igreja de hoje, assim eu enxerguei que nossa igreja, ou a maioria delas, tem suas liturgias e até mesmo criam dogmas baseados em fatores culturais e no contexto da sociedade, o que quando o tempo passa muda e faz com que muita coisa fique antiquada.
Veja bem, não estou chamando a bíblia de antiquada e sim a liturgia atual bem como conceitos dogmáticos que acabam prendendo a “igreja” no passado, pois os conceitos que se usam para ajudar a basear as normas, regras, burocracias e tudo mais na igrejas são grande parte baseados em fatos extra-bíblicos, esquecendo-se da simplicidade que as “igrejas apostólicas” tinham.

Como é bem conhecido, A BÍBLIA É NOVA A CADA DIA, e se nos basearmos somente por ela poderemos ter uma igreja mais simples organizacionalmente onde quando entrarmos nos templos não teremos dúvida de que sempre o maior homenageado é Deus, o único responsável pela bênção é Deus, e aquela “nave” está no único caminho para o céu que é Jesus Cristo.
O que acontece é que existe tanto estrelismo dentro das igrejas que por muitas vezes o povo desvia o olhas da resplandecente estrela da manhã.

Não estou falando somente da tão famosa liturgia dos cultos nas igrejas pentecostais onde os grupos lutam pela aclamação do ”público” e nem do “Men’s Show” que é feito diariamente em igrejas neo-pentecostais. Estou falando também dos modismos que nós mesmos , jovens, tentamos implantar dentro da igreja.
Até onde nossas idéias revolucionárias com shows de danças (ops, coreografias) e teatros assustadores (Ops de novo, impactantes né) são válidos na adoração ao senhor e evangelização dos povos?

Isso e muito mais nos próximos posts

Fiquem com Deus